•  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Esta época do ano costuma ser muito desejada pelos felizardos que ganham o 13º salário. Uma pesquisa divulgada recentemente pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP) mostrou, inclusive, que o consumidor brasileiro está mais propenso a pagar dívidas e fazer compras a prazo com este dinheiro extra. “A confiança do consumidor subiu após o período eleitoral. Quanto mais seguro e confiante o brasileiro fica em relação à economia, ele poupa menos dinheiro e fica mais à vontade para comprar”, explica Alencar Burti, presidente da ACSP.

Mas se comprar pode ser muito positivo para o comércio, é preciso moderação e equilíbrio para que o 13º não seja gasto sem planejamento. Muitas vezes, este adicional pode ajudar enormemente a dar aquele “up” no planejamento financeiro, mas não é utilizado da maneira mais adequada. Você sabe como evitar que isso aconteça?

13º salário
Coloque prioridades para gastar o dinheiro do 13º salário (Foto: Rawpixel/Unsplash)

Para começar, deixe a afobação de lado

Para a diretora comercial da Mapfre Previdência e Vida resgatável, Maristela Gorayb, o ideal é utilizar essa renda adicional sem afobação, planejando a melhor forma de aproveitá-la. “Antes de sair às compras é recomendado organizar o orçamento, colocando todos os gastos e ganhos no papel e listando as prioridades”, afirma.

A especialista também sugere que o primeiro passo deve ser quitar as dívidas, começando por aquelas com juros mais altos, como as de cheque especial e cartão de crédito, que acabam se tornando grandes bolas de neve.

Depois, o consumidor deve se preparar para as despesas comuns das festividades e de início de ano, como IPTU e IPVA. E com os débitos quitados, dá para começar o planejamento para o ano novo ou para planos de maior prazo, como adquirindo um seguro de vida resgatável ou um plano de previdência.

Separamos alguns pontos que você pode considerar para usar o 13º salário da melhor maneira possível. Confira quais se aplicam melhor no seu caso.

13º salário
Coloque também tudo no papel para não se perder com seus gastos (Foto: Marten Bjork/Unsplash)

Planejando o 13º salário

1. Tente quitar as dívidas, especialmente aquelas que têm juros mais altos.

2. Separe parte do 13º para despesas de início de ano, como IPVA, matrícula, e etc. Você pode usar cartões pré-pagos caso precise separar o dinheiro por finalidade.

3. Planeje o ano novo: o que você gostaria de fazer no ano que vai começar e quanto dinheiro precisará para isso?

4. Guarde uma parte: que tal separar ao menos um percentual do 13º para incrementar a reserva financeira?

5. Se não tiver dívidas nem gastos extras no começo do ano, aproveite para investir parte e fazer o dinheiro render.

6. E é claro, você pode e deve separar ao menos um percentual do 13º para aproveitar a vida. Que tal levar a família para um passeio gostoso, comprar algo que estava querendo há tempos ou simplesmente se dar uma massagem de presente? Equilíbrio, afinal de contas, é tudo quando se trata de finanças!